Alana Soares - Caderno Cultural
Estimadas 50 mil pessoas participaram da 1ª Mostra Sesc de Culturas no Sertão Central
O Sertão já virou Arte
date_range29/07/2019 às 10:01

Jota Quest abriu a 1ª edição da Mostra Sesc de Culturas do Sertão Central para 20 mil pessoas, em Quixadá.

Com expectativa de 50 mil espectadores, a 1ª Mostra Sesc de Culturas do Sertão Central aconteceu em Quixadá, Quixeramobim, Senador Pompeu e Ibaretama entre os dias 25 e 28 deste mês, transformando estas cidades em palco de diversas manifestações, com vários atores da cadeia produtiva cultural, imersos em um intenso processo de troca.

Gratuita e aberta ao público, a programação foi dividida entre shows musicais, mostras de cinema, exposições, rodas literárias, teatro de rua, debates e workshops.

Foram mais de 65 ações gratuitas em 19 espaços públicos e equipamentos culturais. 

 

Teatro e Formação

Ao todo, foram 42 trabalhos selecionados por curadoria, envolvendo mais de 250 artistas, mestres de cultura e pesquisadores. Um dos recortes fundamentais da programação são as apresentações de teatro de rua, que costuram os quatro municípios participantes em um circuito de artes cênicas.

 

Literatura e Música

Algumas apresentações ocorreram em distritos mais afastados do município, nos espaços de origem dos próprios artistas, com o objetivo de aproximar o público daquela realidade e vivência cotidiana. É o caso da caravana literária dedicada à escritora Rachel de Queiroz

 

 

Audiovisual e Artes Visuais

O Memorial Antônio Conselheiro sedia a exposição Casa Gino, sobre a famosa loja de fotografia de Juazeiro do Norte. Já o núcleo Audiovisual exibe “Onde Nascem os Bravos”, do cineasta fortalezense Daniell Abrew. O filme de faroeste foi gravado em 2015 no cenário da Fazenda Pinhão, localizada em Quixeramobim, sendo o primeiro de uma trilogia do diretor. Escolhido para a Mostra nacional CineSesc, o filme mostra o momento vigoroso do cinema cearense, com produções destacadas no cenário nacional nos últimos anos. Também integram a programação o filme “O Valor do Tesouro Perdido”, primeiro longa do caririense Jaildo Oliveira e uma seleção de curtas-metragens.

 

Sobre
Alana Maria Soares é Jornalista formada pela UFC. Tem reportagens publicadas no Brasil de Fato e O POVO Cariri. Foi repórter da Cariri Revista. É repórter freelancer para o Miséria e colabora com o Blog de Altaneira. Fez assessoria do Festival Expocrato (2018 e 2019), Festival Foto Kariri e Mostra Científica do Cariri. FREELANCER: alanasoaresjor@gmail.com