Alana Soares - Caderno Cultural
O tradicional Casarão do Crato agora vai ser...
Descobrimos o que está por trás dos tapumes no casarão da Coronel Antônio Luiz.
date_range24/02/2019 às 10:53

Para quem tinha esperança de outra proposta boêmia ressurgir no Crato, as notícias só são boas para quem gosta de carne.

Perdemos um guerreiro. Agora, definitivamente. O muro foi posto abaixo e o antigo Casarão Boteco, fechado desde julho de 2018, dará lugar a uma steakhouse.

O novo empreendimento Turatu´s Steakhouse and Beer deve abrir em na última semana de março, apresentando cardápio refinado e novidades na arquitetura interna do velho casarão datado sem precisão entre 1960 e 1970.

O prédio, tradicional das fachadas cratenses, era residência de Paulo Frota, comerciante, hoteleiro e ex-sócio diretor do Crato Tênis Clube - este último passou a ser o responsável pelo terreno com a morte de Frota, segundo conta a enciclopédia viva Huberto Cabral.

Este casarão já abrigou família, secretarias, salas comerciais, gráficas, papelaria, cyber house e, mais recentemente, um bar responsável por dar destino certo às noites de sábado e instigar uma cena musical dormente.

O Casarão Boteco viveu de 2013 a 2018, entregando um serviço, local e agenda para diferentes segmentos da sociedade cratense. Do rock ´n´ roll, shows ao vivo, Festivais e discotecagens.

"Nascemos em um momento onde não existia nenhum tipo de proposta para a noite cratense. Queríamos ser o boteco para todos", lembra Glauco Rocha, um dos ex-sócios.

Após três anos de ascensão, a queda veio brusca. Ele indica dois fatores determinantes para fechar as portas: o cansaço do público diante de intensos eventos semanais e a perda de identidade do próprio bar após duas grandes reformas.

"Mas é difícil. Parece que no Crato nada dura muito tempo. Se você parar para pensar, todos os bares alternativos fecharam. O Flor de Pequi, o Cabeça de Cavalo e a lista vai...", Glauco desabafa.

No final, bares vão, bares ficam e boemia permanece. Mas será que do Crato só restarão as lembranças de uma boa época?

Sobre
Alana Maria Soares é Jornalista formada pela UFC. Tem reportagens publicadas no Brasil de Fato e O POVO Cariri. Foi repórter da Cariri Revista. É repórter freelancer para o Miséria e colabora com o Blog de Altaneira. Fez assessoria do Festival Expocrato (2018 e 2019), Festival Foto Kariri e Mostra Científica do Cariri. FREELANCER: alanasoaresjor@gmail.com